jun 12, 2017 blogsadm Laboratorios y gases especiales Sem comentários

Como escolher a tubagem correta para a instalação de gases?

Quando precisamos de uma instalação de gases de pureza, pensamos sempre nos equipamentos de descompressão de garrafas (manuais ou automáticos) e nos postos de trabalho (intervalos de pressão adequados). No entanto, existe um fator importante a que ocasionalmente não se atribui a devida importância: a CANALIZAÇÃO DOS GASES. Não vale a pena instalar bons equipamentos para um gás de pureza se a qualidade e a instalação da tubagem não forem adequadas. A tubagem é um dos elementos cruciais de uma instalação. A Nippon Gases apresenta algumas considerações a ter em conta.

A escolha dos materiais utilizados na canalização, o procedimento de soldadura e o sistema de suporte são aspetos fundamentais para garantir que a qualidade do gás se estende da garrafa ao ponto de utilização, bem como para assegurar a durabilidade da instalação.

  • Qualidade da tubagem: recomendamos a utilização de AÇO INOXIDÁVEL DE QUALIDADE AISI 316L SEM SOLDADURA LONGITUDINAL (ou seja, um tubo extrudido e não uma chapa moldada de forma tubular a que são soldados os bordos) para evitar a rugosidade interior (incompatível com a elevada qualidade do gás); limpeza química interior em conformidade com as normas CGA 4.1 e ASTM G93.
  • A união das secções da canalização é provavelmente um dos elementos mais críticos de uma instalação, pois uma execução incorreta irá implicar a existência de fugas e pontos de contaminação. Por este motivo, recomendamos que a união das secções seja efetuada mediante soldadura TIG com proteção de gás árgon para evitar a oxidação interior. Deverá evitar-se a utilização de cotovelos soldados que constituem pontos críticos, dobrando-se o tubo para lhe dar o formato necessário ao longo do seu percurso. Na indústria farmacêutica, cosmética e outras aplicações, também recomendamos que a união seja realizada com soldadura orbital, um método automático, com a máxima garantia, cujo resultado final se assemelha à canalização de um tubo infinito.
  • O sistema de suporte da tubagem deve evitar curvaturas dos tubos, que, além de serem esteticamente inadequadas, enfraquecem as uniões.

Quando a aplicação de gases exige purezas muito altas (gases ultrapuros), devemos considerar a conveniência de utilização de tubagem eletropolida (<0,2 micras de rugosidade), o que irá contribuir para que não ocorra retenção de contaminação ou partículas.

Por último, no caso de gases perigosos (pirofóricos e muito venenosos), incluídos nos nossos grupos de risco 5 e 6, o tipo de tubagem a considerar é o que denominamos tubagem revestida. Consiste em dois tubos coaxiais, onde o gás de utilização circula pelo tubo interior e um gás inerte, normalmente N2, circula entre os dois tubos.

Como demonstrado, numa instalação de gases de pureza que pretenda cumprir um elevado padrão de qualidade e segurança, uma canalização adequada é um elemento fundamental.

Para esclarecer quaisquer dúvidas, contacte o nosso especialista em laboratórios e gases especiais aqui.